quarta-feira, 16 de junho de 2010

Pássaro de prata



Rompendo os ares em velocidade
Em luz etérea e cintilante
Como um pássaro que migra no verão
Cortando mares e a imensidão dos céus
Sigo meu rumo ascendente
Como águia branca e destemida
Sob a luz da lua ou um sol ardente
Esta è a minha estrada...
O céu azul, o infinito...
Espera-me na terra a minha amada

Anna Karenina

Nenhum comentário:

Postar um comentário